Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro
Secretaria Municipal de Cultura

apresentam

Direto da Agência » 14.04.2016 - Mayara Ximenes – Conexões e Comunicação

Você quer conhecer Santa Cruz?

Pensar em Santa Cruz como uma importante região no contexto histórico da cidade gera algum tipo de estranhamento para você?

Ao pensarmos em importantes pontos históricos do Rio de Janeiro nossa memória logo nos aproxima de espaços localizados no eixo Centro – Zona Sul. Porém, todo lugar tem uma história a ser revelada e apreciada.

Foi pensando nisso que Elenice Silva, Ellena Cassia e Suzana Silva estão desenvolvendo – a partir da metodologia da Agência de Redes Para Juventude, o projeto Cintegra. A proposta resgatar diversos pontos históricos de Santa Cruz a partir de passeios turísticos.

DO IMPÉRIO AO CANDOMBLÉ

Entre os pontos históricos por onde o projeto irá circular estão: o Palacete da Princesa Isabel – inaugurado no ano de 1881 por Pedro II, onde hoje funciona o EcoMuseu de Santa Cruz; O Illê Amaralina Gama ty Bessen- uma casa de candomblé fundada há meio século no Bairro da Liberdade e a Escola de Samba Acadêmicos de Santa Cruz.

O projeto Cintegra fechou parceria com o grupo de dança afro Mariama, da comunidade de Santa Veridiana.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Realizar previamente o roteiro foi importante para a gente ver o que funciona e o que precisa ser reorganizado ou retirado do cronograma das atividades”, analisa Elenice Silva após a realização dos passeios incluídos no roteiro, uma das tarefas de formulação do projeto.

DESCOBERTA DO MIRANTE

Circular o território com o olhar curioso, como alguém que quer de fato se apropriar da história do lugar, fez com que elementos novos surgissem. Por exemplo, um ponto no alto de Santa Cruz onde é possível ter uma visão panorâmica do bairro. Batizado de Mirante pelas criadoras do projeto, deste trecho é possível avistar a Base Aérea de Santa Cruz e as Ruínas do Matadouro, por exemplo.

“Esse mirante foi uma surpresa fantástica! Às vezes, nós moradores, estamos tão acostumados com o lugar que perdemos a sensibilidade de enxergar para além do óbvio”, conta Suzana Silva.

Do que há de mais tradicional até o que existe de mais novo no território,  um dos últimos locais o percurso é a Nave do Conhecimento de Santa Cruz, espaço que oferece serviços como cursos de idiomas, acesso à internet, além de sessões de cinema – tudo de maneira gratuita.

E pra fechar esse dia de imersão num dos maiores bairros do Rio de Janeiro, o Cintegra, em parceria com Grupo de Dança Afro Mariama – da comunidade do Veridiana-, realizará apresentações de danças populares como Jongo, Tambor de Criola e Coco.