Vestindo a camisa da Pavuna

Uma biblioteca lotada de novas ideias
5 de agosto de 2014
As ideias do Batan encontram a banca
6 de agosto de 2014
Exibir Tudo

Vestindo a camisa da Pavuna

No dia 02 de agosto aconteceu o momento mais esperado do ciclo metodológico da Agência de Redes para a Juventude: a banca de avaliação. Todos os bolsistas apresentaram suas ideias aos avaliadores, responsáveis por decidir quem serão os premiados com R$ 10.000,00 para realizarem seus desejos no território.

No núcleo Pavuna foram oito ideias expostas para Anderson Barnabé (Arena Jovelina), Maísa Júlia (Charme Favela) e Paul Heritage (People’s Palace Projects). A Arena Jovelina Pérola Negra concentrava a mistura de tensão, confiança, nervosismo, expectativas e muito otimismo. Enquanto acontecia uma apresentação, alguns jovens treinavam sua fala, outros procuravam ficar mais tranquilos  jogando o famoso “Três Cortes”. “Estudei e ensaiei bastante pra apresentação”, contou Milena Nax, que faz parte do Rainha Crespa e a todo tempo segurava a bolsa que estampava a grife de mesmo nome do seu projeto.

Projeto Rainha Crespa se apresentando para a banca.

O Rainha Crespa quer desenvolver a valorização da beleza da mulher negra através de uma plataforma virtual com conteúdo sobre moda e dicas de beleza para mulheres negras. Além disso, o projeto que fazer uma feira trimestral na Pavuna com barracas que vendam produtos da grife, além de tendas de moradores da Pavuna. “A ideia inicial era ter uma loja para produção de bolsas, e também foi pensado no cabelo e um projeto de moda. Mudamos isso para abranger as três ideias, dos integrantes”, explicou Elaine Rosa sobre como aconteceu a evolução do seu grupo durante o ciclo da Agência até chegar ao que desejam realizar hoje. E souberam defender bem para a banca esse desejo. “Achei a apresentação tranquila. Conseguimos colocar tudo o que a gente se propôs”, revelou a bolsista.

Apresentação do Urban Arte começando com dança.

Com as meninas do Urban Arte, também aconteceram muitas mudanças nas ideias. “No começo, o nosso projeto envolvia dança, fotografia e luta. O nosso mediador falou que para o projeto ir pra frente, teria que recortar. Então a Juliana entrou no grupo e o que ela queria era ter um lugar pra dar aula de dança, então recortamos e deixamos só a dança”, é o que explica a jovem Larissa Marques (16). Juliana Lage (16) é B-Girl e acredita no poder de transformação da dança, porque viveu essa experiência através de um trabalho da Arena Jovelina. E, para passar confiança aos avaliadores, ela já começou a apresentação dançando um dos ritmos do Hip-Hop, já que o foco é oferecer oficinas de dança em praças públicas e espaços educacionais para jovens da Pavuna e comunidades ao redor. “O Paul curtiu bastante, e isso me incentivou muito. Ele falou da dança até a gente sair”, disse a bolsista Glauci Assis (20),

O grupo Eco Urbano abraçando a universitária que os ajudou nesse ciclo.

Cada apresentação tinha o tempo máximo de sete minutos para os bolsistas explicarem suas ideias e mostrarem seus produtos, caso já tivessem, e mais sete minutos de comentários e sugestões da banca avaliadora. Após passar os dez minutos do Eco Urbano, os integrantes do grupo saíram da sala muito felizes, com a sensação de missão comprida. “Foi melhor do que a gente esperava, amiga”, disse a bolsista Vânia Paixão (29) entre risos e apressada para abraçar Rayane Brum, a universitária que os acompanhou em cada instrumento da metodologia da Agência. Os quatro membros do projeto literalmente vestiram a camisa: eles fizeram uma estampa personalizada com o nome Eco Urbano. O grupo também exibiu produtos que já fabricaram a partir de material reciclável, pois o objetivo é cria mais desses objetos e organizar uma feira ecológica no bairro.

“O que queremos é dar visibilidade a Pavuna, muitas pessoas de fora enxergam aqui como um faixa de Gaza porque tem muitas comunidades ao redor”, é como diz Jeanne Natalia (15), que forma o grupo do Cine Batente e está ansiosa pelo resultado. As duas ideias vencedoras de cada núcleo serão divulgadas na próxima semana. A partir daí iniciamos uma nova fase: desencubadora para que os jovens comecem a causar impacto na cidade com suas ações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *