Reconstruções do Costureiras da Paz

Portal ProviSom no ar!
9 de Abril de 2013
#Sabadão da Agência de Redes para Juventude
12 de Abril de 2013
Exibir Tudo

Reconstruções do Costureiras da Paz

Na tarde de quarta-feira, o Costureiras da Paz fechou o orçamento e as parcerias para reforma de suas salas, sediadas no prédio do CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) Dodô da Portela, na Providência.

Estiveram reunidas Amanda Gomes, coordenadora do projeto; Luz Anna, universitária e produtora; Bebel Rocha, mãe de Luz e orientadora educacional do projeto; e Daniel Gomes, amigo da universitária, estudante de informática na PUC, integrante da Escola de Ibi e parceiro de última hora do Costureiras.

A sala foi cedida há quase um mês , pelo intermédio de Maria de Fátima, coordenadora do CRAS. “Eu conheci a Amanda já no Costureiras através dos parceiros do CRAS: o CRJ (Centro de Referência da Juventude) e a Vila Olímpica. A Amanda foi muito perseverante quando nos procurou. O CRAS existe há muito tempo, mas nos mudamos para cá em dezembro, então, a nossa reestruturação foi aos pouquinhos. É uma grande responsabilidade agregar um projeto à nossa imagem, mas o Costureiras é um projeto sério e a Amanda passou clareza e verdade para gente”, completa Maria de Fátima, que além do trabalho, também conversou sobre conhecidos da Providência.

Daniel dá alternativas para reforma da sala do Costureiras da Paz.

 

Costureiras da Paz é um projeto do aprofundamento da Agência de Redes para Juventude e trabalha com mulheres  envolvidas em casos de violência doméstica. Reoperado a partir da experiência de vida de Amanda, o projeto usa a costura como forma de geração de renda para essas mulheres.

Na nova metodologia, Amanda quer reforçar o traço social dessa reunião de mulheres costureiras. “Nós vamos trabalhar com a construção da identidade social dessas mulheres, que é o resgate da autoestima. Serão encontros semanais, às terças-feiras, com a orientadora educacional e construção do diário afetivo e da ‘árvore eu-de-mim'”, explicou Amanda, que completa:

“O momento em que eu falo ‘não’ e minha filha vê, mais pra frente, ela não vai aceitar que o marido dela bata nela. Eu ouvia muito: ‘ele é seu marido, você tem que respeitar’. Acredito que o projeto será uma mudança na geração da minha família”, disse Amanda, mãe da pequena Ana Beatriz e estudante da Oficina de Figurino na Spetaculu.

Nas quintas-feiras os encontros serão de modelagem e confecção de bolsas, e serão estampadas frases recolhidas dos diários ou da árvore para montar a narrativa das mulheres participantes do projeto.

Na esquerda, a equipe composta por Amanda, Luz, Veruka e Luisa visita pela primeira vez a sala do CRAS. Na imagem da direita, o projeto da sala relizado pela designer Luisa.

O visual da sala ficou a cargo da estudante de design Luisa Kühner, do Laboratório de Co-criação Agência + ESDI. Daniel trouxe várias ideias que podem aliviar o orçamento e trará o designer Tomás Manzarini para ajudar nas escolhas dos materiais.

Assim, está convocado o mutirão de reforma das salas do Costureiras da Paz que acontecerá neste sábado, dia 13 de abril. Na próxima semana, no dia 19 de abril, o projeto será reinaugurado com coquetel, música e reunião de amigos e parceiros como a FASE e Retalhos Cariocas.

Os comentários estão encerrados.