Perfil: Entre o Céu e a Favela

Perfil: Providenciando a Favor da Vida
19 de Janeiro de 2012
Perfil: Ler e Brincar
19 de Janeiro de 2012

Aprender a escrever projeto assim ficou muito mais instigante — Cíntia Sant’Anna

Chamar a atenção para a memória do morro da Providência, no centro do Rio de Janeiro, sempre foi uma ideia que tomava a cabeça criativa de Cíntia Sant’Anna. O fato de morar na primeira favela do Brasil era um estímulo a mais.

Josiane Mendes, que a princípio pensava uma videoteca comunitária, curtiu a ideia, e se juntou a Cintia nesta empreitada.

Juntas, as jovens de 25 anos criaram Entre o Céu e a Favela, um informativo mensal com notícias, serviços e uma seção para contar as histórias da comunidade. A publicação terá edição impressa de dois mil exemplares, blog e uma página no Facebook.

As proponentes do projeto são atrizes. Cíntia atua há três anos no grupo de teatro popular Tá na Rua. Josiane montou ao lado de amigos e da prima Andreza Gomes – que também participou da Agência – o grupo de teatro Fênix. As duas chegaram até a Agência no primeiro ciclo. Até configurarem o projeto por completo ralaram muito no Ciclo de Estímulos, na Incubadora e na Desencubadora. “A apresentação da metodologia de forma prática era o mais interessante. Aprender a escrever projeto assim ficou muito mais instigante”, comenta Cintia sobre os estúdios de criação e formações aos sábados.

Desenvolvendo a cada semana a sua ideia, passando por um período conturbado de junções e reorganização das possíveis atividades do projeto ao longo destes dez meses, hoje, o Entre o Céu e a Favela conta com a parceria da jornalista Glaucia Marinho, do produtor Paz Berti e do psicólogo Diogo Lanza – todos residentes na comunidade chamada por alguns de “relíquia” – por datar do ano de 1897.

“A escolha dos parceiros foi muito feliz. São indivíduos  únicos que formaram um coletivo forte e diversificado. O Paz é um funkeiro, produtor cultural e psicólogo da Patagônia; o Diego tem apenas 21 anos, acabou de se formar em psicologia, está cheio de gás e é cria da Provi. A Glaucia é a jornalista do projeto. Mora na Providência há pouco mais de um ano, mas tem um histórico de acompanhar as transformações da comunidade no blog Pela Moradia. Fiquei feliz de ter estas pessoas junto comigo”, diz Cíntia.

A primeira edição do jornal foi lançada no dia 27 de janeiro de 2012, no Cruzeiro, em um show com o grupo Central do Samba, bateria mirim da Escola de Percussão do seu Nélio e do já citado grupo de teatro Tá na Rua.

 

 

A logo do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *