Pavuna e Cidade de Deus: o mapa e a visibilidade

Criatividade de Centro
7 de julho de 2014
Mapa de projetos no Batan e em Santa Cruz: Está nascendo novidade!
8 de julho de 2014
Exibir Tudo

Pavuna e Cidade de Deus: o mapa e a visibilidade

O papo sobre favela dos jovens do atual ciclo da Agência de Redes para Juventude foi carregado de bom humor e insatisfação com os estereótipos que a palavra carrega. Ao explicaram como enxergam o seu território, personagens como a tia fofoqueira que está sempre batendo ponto com a sua cadeirinha de praia no portão de casa, a barraqueira que não leva desaforo pra casa e o moleque transante de bigodinho loiro são figurinhas carimbadas tanto na Cidade de Deus quanto na Pavuna.

Esse foi o início do dia de produção dos mapas dos projetos, um instrumento que dá visibilidade às ações dos projetos e às novas projeções que esses jovens produzem sobre seu território.

O QUE É FAVELA?

A representação da favela para os que olham de fora foi o incômodo unânime para os jovens. A associação com a violência e a carência foi posta a prova quando afirmaram que até mesmo dentro de uma comunidade há desigualdade. Ao dedicar um tempo maior em perceber uma favela, é fácil perceber áreas mais pobres e as mais ricas – na maioria das vezes composta por pessoas que possuem negócios na comunidade. A jovem Jullyana Muller, CDD, criticou a visão estrangeira que acha que todo mundo que mora na favela é bandido e não presta. “O pessoal de fora vê a favela como um zoológico, pensando: ‘vamos lá ver os pobres’. Mas aqui é um lugar como qualquer outro,”, disse Marcos Vinicius Melo, da CDD, que já realizou o projeto SPA Spotivo e que agora retorna à Agência, idealizando o Brink’art.

Além das visões gerais sobre favela, existe aquela trazida pelo longa-metragem Cidade de Deus – as imagens do filme são as primeiras nas pesquisas do Google sobre a comunidade. A reação dos jovens, além da risada ao ver as fotos do Zé Pequeno do filme, é a percepção que isso só ajudou a criar um imaginário perigoso para a CDD.

O que é visto com maus olhos pelos jovens da Cidade de Deus é visto de forma positiva para os jovens da Pavuna. Para eles o filme fez com que a CDD passasse a ser vista com maior prioridade pelo poder público e a mídia, como exemplo o fato de ter sido a segunda comunidade a receber uma Unidade de Polícia Pacificadora no Rio de Janeiro. “A Cidade de Deus como as comunidades da zona sul são favelas marketing, a pedreira e o chapadão são mais excluídas”, afirmou Pedro Miranda morador da Pavuna. O debate caminhou até a questão sobre o direito de visibilidade, um direito muito importante por garantir vários outros.

Tornar visível uma ideia é justamente um dos objetivos do mapa, instrumento aplicado pela equipe da Agência neste sábado nos estúdios de criação após a conversa sobre o território. O mapa coloca os inventários criados pelos jovens no tempo e no espaço, facilitando o entendimento do futuro projeto de maneira objetiva, além de evidenciar possíveis fraquezas que precisam ser trabalhadas na ideia para melhor execução das ações.

NOVAS TRAJETÓRIAS NA CIDADE DE DEUS

O grupo Brink'art da Cidade de Deus não economizou caneta e fez questão de escrever todos os detalhes da ideia.

O grupo Criando Futuros, na Cidade de Deus, deseja criar um espaço para receberem crianças no contra turno da escola e escreveu no mapa até os eventos extras que desejam realizar com as crianças como as festas de final de ano e dia das crianças. Para Batalha de Rapper o mapa serviu para visualizar um detalhe que estava faltando, a definição de uma sede física para os membros se encontrarem para resolverem questões de execução do projeto.

Minichefe , que deseja dar aula de culinária para crianças, já definiu os parceiros e a sede, faltando só levar a ideia ao fogo por mais alguns encontros para a banca poder degustar a ideia. Com as quadras que acontecerão as aulas de esportes escolhidas, o Melhoria na Comunidade tema missão de fechar o orçamento do projeto e treinar a apresentação nessa semana.

NOVAS TRAJETÓRIAS NA PAVUNA

Os mapas construídos na Pavuna não economizaram nas cores e formas. O contato com um grande repertório de mapas artísticos mostrados por Ana Paula Lisboa inspirou os jovens fazendo-os escolherem os desejos como a melhor maneira de alimentar as suas ideias. O Animevuna detalhou todas as redes que já possuem para realizar o festival de anime na Pavuna. A galera da Feira Ecológica, apesar de até ter colocado em seu mapa os fornecedores dos produtos que serão vendidos na feira, percebeu que precisa de um nome mais impactante para a ideia.

O Cine Batente que tem a ideia de fazer um documentário sobre os trabalhadores da Pavuna desenhou o percurso da ideia até a apresentação do filme.

Nas duas comunidades a percepeção do território como um lugar de potência está se tornando uma realidade, a medida que as ideias ganham novas expressões e redes em toda cidade. No próximo sábado, o Encontrão na Arena vai colocar as ideias de todos os cantos do Rio de Janeiro em evidência, pois cada bolsista deverá falar de sua ideia para os demais colegas. Foco na missão e #RumoaBanca !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *