OFICINAS ONLINE E GRATUITAS DE JOVEM PRA JOVEM

CONHEÇA OS JOVENS DO CICLO 2021 DA AGÊNCIA
20 de Abril de 2021
JACAREZINHO: TERRITÓRIO DE JOVENS CRIADORES
18 de Maio de 2021
Exibir Tudo

OFICINAS ONLINE E GRATUITAS DE JOVEM PRA JOVEM

 

Há dez anos a Agência de Redes para Juventude ocupa as ruas – e agora, as redes – com ações que têm compromisso com os jovens e seus territórios. Em abril, a instituição ofereceu quatro oficinas online e gratuitas, por meio da Lei Aldir Blanc e da Secretaria de Estado Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, com o projeto Redes de Fazeres Culturais da Juventude de Periferia do Rio de Janeiro. Quatro jovens que já passaram por formações da metodologia da Agência e que são referências em suas áreas de atuação lideraram os encontros, debatendo suas experiências em diferentes campos.  Big Jaum, Ana Acioli, Juliana Carmo e Gabriel Alves (Dafne Dallas) falaram sobre os respectivos temas: humor nas redes sociais, produção cultural em rede, mobilização local e cultura drag queen. A atividade contemplou 83 participantes, com idades entre 17 e 29 anos e predominantemente de origem popular. Eles eram de mais de 30 territórios, de Santa Cruz à Pavuna, de Honório Gurgel à Sepetiba. Todas as oficinas tiveram a presença de dois intérpretes de libras, que colaboraram com a acessibilidade do projeto.

 

Saiba mais sobre os oficineiros e sobre os encontros:

Sobre Big Jaum

João Baptista, mais conhecido como Big Jaum, é videomaker, comediante e morador de Guadalupe, bairro de onde é cria e que aparece muitas vezes em suas obras. Transitando por diversas áreas artísticas, se destaca pelas produções para a internet, principalmente pelos videoclipes de rap e humor.

Oficina 1: Humor nas Redes Sociais

Big Jaum falou sobre sua trajetória como humorista, apresentou ferramentas para quem tem interesse em atuar na área e mediou uma dinâmica. Ele dividiu os convidados em grupos e pediu que criassem um roteiro de vídeo de humor de até um minuto para a rede social de vídeos Tik Tok. Big interagiu com os grupos, dando dicas para aprimorar o roteiro, e após as apresentações do que foi produzido, fez considerações a todos.

__

Sobre Ana Acioli

Ana Acioli é nascida e criada no Parque Columbia, Zona Norte do Rio de Janeiro. É filha de camelô, produtora cultural de periferia e co-idealizadora da IN.CORPO.RAR, hub de cultura que propõe a conexão e circulação das produções, projetos e iniciativas culturais de pessoas não hegemônicas. É idealizadora da Di.Cria – Coletivo di Criação de Redes Interculturais e Afetivas, que tem como objetivo dar força e trocar conhecimentos a partir da produção cultural Di Periferia e sócia da Rainha Crespa. Acredita na produção de periferia como ferramenta de luta contra as opressões estruturais. É produtora do Slam Res.peita, slam master no circuito Slam Palavra Líquida do Sesc Rj e enxerga o slam como meio de diálogo com a população e meio de cura pessoal.

Oficina 2: Produção Cultural em Rede

Ana Acioli guiou a oficina expondo as ferramentas que um produtor precisa para executar seu projeto. Ela mostrou trabalhos de produção periférica feitos por ela, demonstrando erros e acertos e exemplos de planilhas. Enquanto falava, Ana estimulava a participação dos convidados, que tiraram dúvidas e trouxeram experiências, enriquecendo o debate.

__

Sobre Juliana Carmo

Juliana Carmo tem 21 anos e é moradora de Honório Gurgel, Zona Norte do Rio de Janeiro. É ativista social há 13 anos e mobilizadora cultural na luta pela redução das desigualdades de jovens de favelas e periferias cariocas. É cofundadora do Coletivo Cria(Ação) e do PPM (Pontes para Mudança), ações que potencializam sonhos de famílias da Pavuna e Grande Pavuna a partir da troca de oportunidades e redes. É voluntária do UNICEF BRASIL pelo #TmjUnicef, trabalhando em prol da prevenção à Covid-19 no país e cursa uma especialização em “Liderança e Mediação de Conflitos” pela Universidade de Harvard.

Oficina 3: Mobilização Local

Juliana Carmo começou o encontro dando um panorama de sua trajetória como ativista social e mobilizadora cultural, contando sobre os projetos em que atuou e em que ainda atua. Após essa apresentação, Juliana deu dicas para os jovens convidados atuarem como lideranças locais nos seus territórios e mostrou quais são as ferramentas e atalhos para uma boa mobilização local.

__

Sobre Dafne Dallas

Dafne Dallas é uma multiartista nascida e criada em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro. É drag queen, cantora, compositora, atriz e performer. Dafne Dallas nasceu em 2017, como forma de expressão de uma pessoa que queria se mostrar para o mundo e defender seus ideais. Seu primeiro single “Sai da Frente”, lançado em 2019, fala sobre lidar com as diferenças da sociedade. Já em 2020, em meio à pandemia do coronavírus, Dafne Dallas lançou o clipe de Topando Tudo, que fala sobre a superação de um relacionamento abusivo e sobre as consequências desse amor. Para 2021, a cantora promete o lançamento de seu primeiro EP audiovisual, que irá trazer uma nova sonoridade ao seu trabalho e novos temas a serem tratados.

Oficina 4: Cultura Drag Queen

Dafne Dallas falou sobre o movimento drag queen, apresentando materiais em formatos de vídeo e foto, com exemplos nacionais e internacionais. Ela contou sobre sua história de vida e trajetória e debateu sobre a cultura drag queen, sobre identidade de gênero e sobre preconceito. Por último, deu dicas práticas de como uma drag queen se monta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *