Núcleos Rocinha e Centro: as ideias começam a vibrar

Início de ciclo na CDD
2 de setembro de 2015
Novas redes no Batan
4 de setembro de 2015
Exibir Tudo

Núcleos Rocinha e Centro: as ideias começam a vibrar

No sábado, 29 , o ciclo 2015 da Agência de Redes para a Juventude começou oficialmente. No núcleo centro, que funcionará na sede da Agência, a manhã começou ao som do rap, sempre instigante. Na Rocinha, na parte da tarde, a Biblioteca Parque da Rocinha C4 recebeu os jovens na laje do prédio, onde a galera já estava reunida em grupos trocando ideias.

Elisângela e toda equipe da Horta Inteligente apresentam a trajetória do projeto.

Nos dois territórios, além dos bolsistas recém chegados e a equipe Agência, ainda estavam presentes três projetos que se desenvolveram de acordo com a metodologia. Horta Inteligente, na Providência; Fala Roça, na Rocinha e Livreteria Popular Juraci Nascimento, no São Carlos são iniciativas que já atuam em seus territórios e que estão na Rede Agência para completar sua consolidação na cidade. Esse momento pode ser definido como um encontro de gerações Agência: da galera que já concretizou suas ideias e daquela que traz seus desejos em busca de expressão no território. Beatriz Rodrigues, de 18 anos, integrante do Horta, considera esse contato fundamental. “A gente tá mostrando que os projetos podem sim se tornar reais, implementar mudanças nas comunidades e realizar ideias que até mesmo eles imaginaram não serem possíveis”, conta a jovem.

Confiança e desejos de transformação

Taís Antunes, de 15 anos, moradora da Rua 4 na Rocinha, chegou com antecedência e logo fez amizades com outros jovens enquanto esperava pelo o encontro. Sempre muito sorridente, além de feliz e confiante para passar na banca (a última etapa do ciclo de estímulos, na qual os grupos apresentam seus projetos e são habilitados ou não a ganhar o investimento de R$ 10 mil). Ela se inscreveu para o ciclo 2015 por conta de sua mãe, que estava na porta de casa e imediatamente foi chamá-la quando a equipe passou em sua rua.

Taís acredita que gravidez precoce é uma séria questão em sua comunidade e pretende desenvolver uma iniciativa sobre isso durante a Agência.”Trinta por cento ou mais do meu Facebook são garotas grávidas. A maioria da minha escola”, conta a jovem, que já começa a arriscar algumas ideias para seu projeto.”Talvez fazer palestras de casa em casa pra reeducar ajude. Existe muita menina de 13, 14 anos grávida, mãe de família”, conta a menina.

Ações de voluntariado

Além de inspirar os novos bolsistas, os projetos da Rede Agência também chamaram geral para ação. Dentre as propostas, Cíntia Oliveira, de 28 anos, que participa do grupo teatral Roça Raça Cultura (grupo que produz a Via Sacra na favela, atraindo multidões) e que pretende desenvolver algo relacionado ao teatro, escolheu ser voluntária para o Jornal Fala Roça. A tarefa é tirar uma selfie com jornal e compartilhar no Facebook. “É muito importante divulgar o que acontece na Rocinha e a nossa história”. Com a mesma escolha, porém com motivação diferente, Junior Sampaio, de 18 anos, morador da Rua 2, escolheu o jornal uma vez que ele deu visibilidade para um acontecimento crucial na sua vida – e do Rio de Janeiro como um todo – que foi o desaparecimento de Amarildo de Souza, seu tio.

A Horta Inteligente também propôs ações de engajamento pelas redes sociais. Os jovens que se voluntariaram devem pesquisar alguma área em seus territórios com práticas ecológicas, fotografar e compartilhar no seu feed de notícias a foto. Já a Livreteria Popular Juraci Nascimento desafiou os novos bolsistas pedindo que compartilhassem uma matéria de jornal que estivesse na fan page do projeto. Quem conquistar mais curtidas vai ganhar um kit com livro e camisa da Livreteria.

Para o mediador Bruno Lima, responsável pelos estúdios de criação dos dois núcleos, a recepção das duas turmas foi boa. “O que posso dizer que é parecido, tanto no Centro quanto na Rocinha, é que mesmo sem entender o que é esse lugar da Agência, a vontade de fazer a diferença, de fazer algo em conjunto é uma motivação”, conta Bruno. A compreensão do vem a ser a Agência vem aos poucos, a cada sábado. Mas a potência de realização da juventude popular esteve presente durante todo o dia. Se liga que está começando!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *