Núcleo centro de novas ideias

Banca em Santa Cruz: bons resultados para todos.
7 de agosto de 2014
Circulando a cidade: Agência no Prêmio Marcantonio Vilaça
14 de agosto de 2014
Exibir Tudo

Núcleo centro de novas ideias

“É hoje.” Foi isso que passou na cabeça de cada um dos jovens da Agência de Redes Para Juventude no dia 02 de Agosto, o dia da reta final, o dia da banca. Nove grupos do Núcleo Centro se apresentaram na expectativa de serem um dos dois escolhidos ao prêmio de R$10.000,00 para iniciar a ação de seus projetos nos territórios.

A banca era composta por três integrantes: Eliane Costa, pesquisadora de cultural digital, Raquel Spinelli, coordenadora do Providenciando a Favor da Vida e Allan Borges, coordenador de Integração e Projetos. Enquanto a hora da apresentação não chegava, os jovens se juntaram na sala de espera para treinar seus discursos, comer e relaxar. Quando um grupo era chamado para mostrar sua ideia, os outros esperavam ansiosamente pela sua vez.

Jovem Guilherme dando entrevista.

O primeiro grupo a se apresentar foi a Biblioteca Popular Juracy Nascimento. O projeto consiste numa intervenção literária na comunidade, não apenas com livros, mas também com oralidade, visualização de imagens e figuras relacionadas com a história das favelas para o público infantil. Guilherme Vinícius (22), um dos idealizadores do projeto, diz se inspirar na mulher de mesmo nome de seu projeto, Juracy Nascimento. Uma senhora que infelizmente morreu esse ano, no entanto, durante toda a sua vida, se dedicou integralmente a levar cultura aos moradores do São Carlos. Morando numa casa com um quintal bem grande, Juracy arcava com todos os custos das festividades: festa junina, dia das crianças, etc. Quando perguntado sobre a expectativa do dia, o jovem Guilherme respondeu: “A melhor possível, todos nos esforçamos e achamos que deveríamos passar. Esse clima da banca dá uma certa tensão, porque vamos apresentar algo para pessoas que não conhecemos. Mas aqui em volta nos acalmamos à nós mesmos, jogando conversa fora, a Michelle falando no fundo, os Jeffersons tirando foto, essas coisas acalmam.”, conta o morador do São Carlos, que ao lado dos colegas da Agência Núcleo Centro, espera conquistar mais uma vitória. Mas, segundo Guilherme: “Já me sinto vitorioso. Conheci pessoas maravilhosas nos últimos 4 meses e que vou levar essa gente pra toda a vida no coração!!”

A Agência Aquilarril Turismo se saiu muito bem na sua apresentação. Um projeto que agrega turismo, circulação pela cidade e empreendedorismo, propõe levar moradores da Maré e São Carlos para conhecer locais que ainda não conhecem. A princípio os pontos de visitação serão na cidade do Rio de Janeiro, a qual oferece opções de roteiros tradicionais, históricos, culturais, naturais e de lazer. O objetivo do projeto é expandir suas atividades para oferecer também opções de passeios e viagens em outros municípios. No final da apresentação, os integrantes da banca elogiaram muito o grupo entre si.

A Jovem Elisângela se preparando para apresentar o Caçamba Inteligente.

O último grupo a se apresentar foi Caçamba Inteligente. Elisângela Almeida veio aumentando seu repertório e redes ao longo do ciclo, com trabalho duro, e seu desejo de tornar o Morro da Providência um lugar mais limpo e bonito, chegou logo cedo para ler e reler sua apresentação. Depois de preparar sua apresentação no PowerPoint ela afirma: “Estou bem mais segura do que e de quando falar.” Na hora do vamos ver, Elisângela mostrava ansiedade, mas depois de pegar o ritmo fez uma ótima apresentação, suas idéias criativas contagiaram a banca.

Depois das apresentações, os integrantes da banca falaram um pouco sobre as suas impressões do dia. Eliane Costa disse que “percebeu jovens interessantes e firmes.” e ratificou a importância da Agência de Redes Para Juventude no campo de projetos sociais no Rio. Raquel Spinelli disse que achou as ideias muito interessantes, e que a experiência do dia foi ótima. “Eles dialogam sobre um problema real, e isso os coloca em atividade. Isso tira a lógica do aprender e põe o jovem para produzir, se sobressaindo de outros projetos sociais.” disse por último Allan Borges.

Foi um dia árduo e decisivo na Agência, mas todos saíram do escritório da central da Agência de Redes Para Juventude na Lapa com um sorriso no rosto. O ciclo pode ter acabado, mas ele só da início à um novo, para trazer novas potências para a cidade e novas narrativas na vidas de outros jovens cariocas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *