João XXIII: Juventude na frente

Veridiana: um olho na ideia, outro no território
25 de outubro de 2016
PASSEI A VISÃO
13 de dezembro de 2016
Exibir Tudo

João XXIII: Juventude na frente

A maioria das ideias que brotaram nesse ciclo na #AgênciaSantaCruz começaram a bastante tempo. Seja nas cabeças de cada jovem ou nas ações que muitos já realizaram – com muito desenrolo e contribuição das pessoas do território. Chegam para a Banca do #NúcleoJoãoXXIII 14 ideias de projetos, distribuídos nas seguintes áreas de atuação: Gastronomia (Das Minas Padaria, MinasRio, Quentex, XXIII Truck e Família Cakes); Futebol (Meninas em Jogo); Educação (Conexão Saber, Tarimba!); Estética (Afrontamento Crespo, Bar’ Bearia); Cultura (Marquez Cultural); Assistência Social (A vida não pode parar); e Vendas (Rede de Revendedoras).

Uma característica curiosa de alguns projetos é o envolvimento do jovem nas ações.  Quase num hackeamento da metodologia da Agência, duas ideias começaram a ser pilhadas por jovens e estão sendo pensadas para colocá-los no lugar de protagonismo e ação. Confira aqui essas histórias!

Investir no desejo e ressoar no outro

“Vendo para uma senhora lá do Liberdade e para creche do Miécimo. As pessoas conhecem a gente pelo boca-a-boca”, comenta Vânia Cardozo, 20 anos,  sobre os clientes de seu pequeno empreendimento. Tudo começou há quatro anos, quando ela e sua mãe tinham um trailer próximo da estação de Santa Cruz em que vendiam quentinhas e café da manhã. Desde essa época, os clientes mais fiéis são os trabalhadores autônomos que com o preço baixo das quentinhas têm a possibilidade de uma alimentação barata, porém, saudável.

Com R$ 500,00 iniciou um negócio com sua mãe em Santa Cruz. Durante o Ciclo de Estímulos, desenvolveu um plano de capacitação de jovens para o mercado de trabalho.

Mas foi com o investimento de 500 reais do Agindo o Movimento, um dos projetos desenvolvidos na Desencubadora da Agência do ciclo passado, que esse negócio entrou em contato com a metodologia. O primeiro resultado do apoio, foi a possibilidade de Vânia e sua mãe começarem a trabalhar em casa. A movimentação no território começa com a negociação para a compra dos alimentos e a articulação com os mercados e açougues, afim de conseguir um preços mais baixo e qualidade nos produtos. Até gerar renda extra para famílias dos jovens de 13 e 15 anos, que em escalas reduzidas e horário flexível trabalham nas funções de auxiliar na cozinha e na distribuição das quentinhas.

A ideia do Quentex é ser um desdobramento do que Vânia já realiza, com foco na qualificação dos profissionais e do cardápio (pensando nos valores nutricionais) e estabelecer uma marca em que as quentinhas poderão ser adquiridas por distribuidores.

Redes, jovens mulheres e renda

Capacitar jovens para serem vendedoras é a ideia desenvolvida por Katlen.

Outra característica marcante do ciclo é o recorte de gênero das ideias. As meninas trouxeram as experiências, pessoais e sociais, vividas no território. Tanto as boas como as más situações viraram potência e desejo de mudança. São projetos que visam o empoderamento feminino com a conquista de espaços majoritariamente masculinos. Passando por formação de mulheres padeiras; jogadoras de futebol; empoderamento da mulher negra até geração de renda para jovens mães.

“Quando eu ia procurar emprego, meus amigos homens sempre conseguiam e eu não”, lembra Katlen Luiza, 19 anos. Observando as poucas oportunidades de empregos qualificado para mulheres veio então a ideia de criar a Rede de Revendedoras, onde possibilitará a outras jovens adquirirem uma renda extra e continuarem os estudos. “Aí eu tive que escolher entre a escola ou o trabalho. Daí eu participei do NOW (evento realizado pela Agência em 2015) e então entendi que não precisava ter uma carteira assinada para trabalhar”. Ela que fez parte do ciclo anterior da Agência começou a vender trufas nesse período. E hoje, revende diversos produtos (perfumes, maquiagens, produtos de sex shop, etc) que adquire com fornecedores da região.

Com a duração de um pouco mais de um mês, vai chegando ao fim o Ciclo de Estímulos, conduzido com muito gás pela galera do João XXIII. O jovem de Santa Cruz está ligado e sabe o que precisa! E dessa maneira já vem desejando e agindo no cotidiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *