Inventariando a Pavuna

Santa Cruz: um mar de possibilidades
18 de setembro de 2015
Abcdário das Mulheres
23 de setembro de 2015
Exibir Tudo

Inventariando a Pavuna

O dia 12 de setembro na Arena Jovelina Pérola Negra foi dia de trabalhar o Mapa e o Inventário, uma construção do território a partir das ideias dos jovens e da noção que cada um tem das favelas e da cidade.

Mapear é como exemplificar tudo o que nos cerca e faz sentido para a nossa ideia. Mapear é achar uma nova visualização do espaço pra ter um entendimento maior sobre as pessoas, os lugares e os caminhos que vão nos levar até a construção do projeto. Fazer um mapa é dar vida e dizer mais amplamente o que é favela e periferia.

A função de um inventário é, basicamente, expor as possibilidades do que pode ser feito observando apenas o que está a sua volta. Foi isso que os jovens da Pavuna realizaram no seu estúdio de criação. Até o final deste encontro, eles fariam um inventário das coisas, lugares e pessoas que poderiam ajudar a sua ideia a se tornar um projeto. ”É muito positivo a possibilidade de interagir com a diversidade de pessoas no território”, declara Junior, de 29 anos, morador de Coelho Neto.

A discussão sobre o que já existe na Pavuna e pode contribuir para a realização dos seus projetos faz parte da metodologia da Agência. Além da construção das ideias, que ocorre durante todo o ciclo, o objetivo desta etapa é também estimular o diálogo entre o desejo do jovem e seu território, dispararem conteúdo para sua ideia e começar um levantamento de possíveis redes a serem estabelecidas.

Algumas ideias chamaram a atenção, como a do jovem John D., de 21 anos, que deseja criar um blog com a intenção de combater o bullying, e para isso, segundo ele, precisará de pessoas que já passaram por esta situação. A meta é ver o ponto de vista de quem está sendo ofendido, de quem ofende e de quem já superou essa ofensa.

“Acontece diariamente nas escolas, onde uma criança, por não ter um ‘padrão’ adequado às outras, é taxada com apelidos idiotas. Então eu queria focar um pouco nisso, já que estou no meio de tantos adolescentes, seria ótimo ter uma visão ampla sobre o bullying”, conclui o jovem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *