Favela em Dança: as danças urbanas se encontraram no Cantagalo

Novas visões das favelas através do turismo
2 de Abril de 2013
A linguagem e a vida são uma coisa só #2
3 de Abril de 2013
Exibir Tudo

Favela em Dança: as danças urbanas se encontraram no Cantagalo

por Lourena Aguiar e Marina Moreira.

Durante este feriadão, as comunidades Cantagalo e Pavão/Pavãozinho estiveram mobilizadas em torno da dança. Foram mais de duzentas pessoas que não pararam de dançar um só minuto. A quadra da escola Solar Meninos de Luz ficou pequena para tanta energia. Nos dias 29, 30 e 31 de março, o Festival Favela em Dança, coordenado por Lucas Gomes e Ronaldo Marinho, promoveu um novo encontro de dança urbana na cidade.

Favela em Dança é um festival criado pelo Workshop H2BK, projeto desenvolvido na Agência de Redes para a Juventude. O objetivo foi mesclar o Hip Hop com o Funk Carioca e outras modalidades como House, Vídeo Dance, Break, Waacking, Dance Hall, Popping e Krumping.

O Festival contou com o apoio  de comerciantes e instituições locais, como o Museu de Favelas (MUF) e hostels da região. Foram contratados 7 jovens com idade entre 14 e 17 anos para atuarem como assistentes de produção durante os três dias do festival. A produção também reservou 20 bolsas para garantir a participação de moradores nos workshops.

“Danço com o Lucas e estou bastante orgulhosa”, disse Alessandra Fernandes, do Espaço Triartis, que participou das Mostras, no segundo dia do Festival. “Estou muito orgulhosa  do Lucas. Além de ser meu aluno e apesar de dançar a pouco tempo, há muito comprometimento e organização no Festival. Espero ser o primeiro de muitos, pois tem muitos jovens talentosos”  completa a professora Paola Belmonte, do Espaço Triartis.

O festival recebeu grupos e pessoas de várias partes do Rio de Janeiro. Nova Friburgo, Duque de Caxias, Rio Comprido, Rio das Ostras, Paracambi, Complexo da Maré e Jardim de Guanabara marcaram presença.”As pessoas vêem muita barreira entre a favela e o asfalto. Talvez o festival seja o momento de quebrá-las” disse Ana Beatriz, de 17 anos, moradora do Cantagalo e uma das fotógrafas do Festival.

No primeiro dia foram  5 horas só de aulas, com profissionais da área da dança como Paola Belmonte, Luciana Monnerat, Dany Possidonio, Rodrigo Soninho, Lúcio Pedra, Bruno Duarte, Josh Antonio, Duly Omega e Bárbara Lima . Já no segundo dia, aconteceram as mostras dos grupos 904 Krump Movement, GW Cia de Perfomance, Enigma, Crewtz Grilla, , Under Crew, Paradoxo CDN, Espaço Triartis, Coretto Cia de Dança, Femme Beats, I.A.I Crew,  Trio Melanina, SixPack, RM Cia de Dança, Xstyle Dance Company e Black Boys.

No terceiro dia, aconteceram as batalhas para cada estilo de dança trabalhado nas oficinas. E não poderia deixar de faltar a batalha do Passinho, que teve como jurado João Pedro, que pela primeira vez estava avaliando, ao invés de estar competindo. “É a primeira vez que vou avaliar alguém, será uma experiência diferente”, conta João Pedro antes de começar a batalha.

No domingo à noite, após o término das atividades do Favela em Dança, os participantes já perguntavam quando seria a próxima edição. “Caraca, a gente conseguiu!”, falavam Lucas Gomes e Ronaldo Marinho para toda equipe.  O Festival conseguiu provar a potência do jovem de favela, quanto realizador e mobilizador de amantes da dança no Rio de Janeiro.

Confira as fotos do Festival na nossa galeria! Registros por Lourena Aguiar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *