Divas na Passarela: Referências femininas da favela.

Sou Dessas: portal digital para comunicar a juventude.
17 de dezembro de 2014
Juventude que faz: Agência na FAU021
18 de dezembro de 2014
Exibir Tudo

Divas na Passarela: Referências femininas da favela.

O Charme Favela ocupou as ruas do Batan com moda e cultura urbana na noite do desfile de lançamento de sua nova coleção de camisas Divas na Passarela. Com o intuito de dar visibilidade à forte figura das mulheres de periferia, as novas estampas trazem frases representativas dessas divas populares. Esse foi o terceiro desfile do projeto, que também comemorou três anos de ações continuadas no território.

Larissa Brito e Maísa Julia, moradoras da região, pensaram nessa nova ação através da metodologia da Agência de Redes para a Juventude, usando a moda como instrumento empreendedor e de engajamento para reinventar um lugar para a favela no imaginário da cidade. O Charme Favela é mais do que uma grife de camisas, é um hackeamento das tendências da moda da cidade com a missão de estimular o sentimento de pertencimento à favela e a autodeclaração da identidade de favelado. A partir disso, além de propor essa ideia pra cidade, o projeto quer continua aproximando duas favelas locais com histórico de rivalidade, o Batan e Fumacê, e costurando uma nova cara para o território, da qual o morador queira fazer parte.

Charme Favela deixando sua marca nos muros do Batan

A ocupação se deu no Largo do Chuveirinho, ponto popular do Batan, com atrações em torno da passarela. Além do stand de roupas, o evento reuniu música black e arte grafitada para mobilizar mais moradores. Ricardo e Moisés moram no Batan, e com apenas 13 anos, foram atraídos pelo logotipo da grife grafitada num grande muro, enquanto passavam de skate pelo local. “Eu gosto porque isso [o grafite] mostra mais a cara da favela. Tem gente que conhece a favela só pelo jeito rebelde, das guerras de facção, mas o grafite dá uma nova visão”, conta Ricardo bastante animado.

O momento mais esperado da noite foi o desfile. E na plateia não só moradores das favelas próximas, mas pessoas de outros bairros da Zona Oeste também. Lucas Alves, 18 anos, é morador de Bangu e tem uma loja de bonés e foi divulgando seu empreendimento que conheceu o de Larissa e Maísa. Identificando-se com a cultura e estética produzida na favela, ele indicou a namorada para participar do evento como uma das modelos das novas camisas do projeto. Lauane Menezes, 15 anos, já teve alguns encontros com o mundo da moda ainda pequena, mas, viu no Charme Favela um diferencial ao comparar com as outras agências que trabalham com moda, principalmente por ser feito pela e para a favela. “Quando vi o nome, eu já achei maneiro. É diferente das outras agências e lojas de moda e eu gostei disso. Achei que seria uma boa participar.”, revelou Lauane Menezes.

Para Larissa, essa coleção é a que mais tem sua cara. “Com ela eu vejo a valorização das mulheres no conceito ‘favelada’. Eu pude ter mais contato com o público, fala o que é meu projeto e vejo que a valorização das mulheres da comunidade estava mesmo em falta e o Charme está preenchendo esse vazio. Eu vejo as pessoas mais interessadas, tendo o desejo de comprar a camisa e nisso estou dando visibilidade para as comunidades do Fumacê e Batan, que muitos não conhecem. E se conhecem, não é da forma que pensamos”, afirma a jovem empreendedora que tem numa das estampas uma marca de vida. “Cheguei divando é a estampa com a qual mais me identifico. Não preciso falar, a camisa fala por mim”.

Desfile Charme Favela lançando a coleção Divas na Passarela

O Charme Favela segue consolidado em seu lugar de referência no Batan e Fumacê, como projeto de moda e construção de identidade capaz de pensar estilo e estética do território popular. Para 2015, o projeto já planeja novas ações e você pode acompanhar as novidades e vestir essa ideia curtindo a fanpage Charme Favela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *