CONHEÇA OS JOVENS DO CICLO 2021 DA AGÊNCIA

AGÊNCIA DE REDES PARA JUVENTUDE DIVULGA LISTA DE SELECIONADOS DA TURMA DE 2021
7 de Abril de 2021
OFICINAS ONLINE E GRATUITAS DE JOVEM PRA JOVEM
7 de Maio de 2021
Exibir Tudo

CONHEÇA OS JOVENS DO CICLO 2021 DA AGÊNCIA

O Ciclo 2021 da Agência é composto por 27 jovens de diversos territórios das zonas Norte, Oeste e do Centro. A aula inaugural, que aconteceu no dia 10 de abril, foi marcada pela presença de dois jovens realizadores que já passaram por ciclos da Agência e vieram conversar sobre seus caminhos desde então: Jorge Maisum, dj e articulador cultural da Pavuna e Elaine Rosa, empreendedora e idealizadora da Feira Crespa. Ao longo dos próximos meses, os jovens do novo ciclo serão estimulados por meio da metodologia da Agência, norteada pela Prática da Potência. Os princípios de território, rede e potência serão centrais para o desenvolvimento do desejo dos jovens e para a transformação desses desejos em ações artísticas e culturais que impactem seus territórios.

Conheça a nova turma:

 

Ana Beatriz Freire tem 18 anos, é jovem suburbana nascida na baixada e moradora de Del Castilho. É professora e acredita que a educação cura almas e salva famílias.

 

Ana Carolina Elvira tem 21 anos e é moradora da Favela do Rollas, Zona Oeste do Rio de Janeiro. É assistente social em formação pela UERJ, pesquisadora CNPq sobre as trilhas do aborto na América Latina e Caribe e desenvolve o Rebeldia – Juventude da Revolução Socialista e a Rede de Assistentes Sociais pelo Direito de Decidir.

 

Andressa Gandra é artista visual, grafiteira, professora de desenho realista e empreendedora. Tem 21 anos e mora na Pavuna, onde busca democratizar a arte por meio do graffiti.

 

Ashley dos Santos tem 28 anos e mora no Jacaré. Desde pequena gosta de artes, tendo tido o primeiro contato por meio da dança. Desde então se envolve em diferentes grupos artísticos para expressar o que sente. Atualmente faz parte do grupo de dança Maeve, composto por vários jovens do Rio Janeiro.

 

Beatriz Cristina mora na Pedreira, Zona Norte do Rio, e tem 21 anos. Trabalhou duas vezes como jovem aprendiz e atualmente estuda por conta própria para passar no Enem – seu sonho é ser médica para ajudar a salvar vidas. É doadora de sangue, já tendo doado mais de 10 vezes, atitude que encara como um projeto de vida.

 

Bruna Santos é artista independente, mesclando em seu trabalho fotografia e ilustração na colagem digital e expondo na rua por meio do lambe. Foi criada na Pavuna, mas mora na Providência desde os 9 anos. Hoje com 19 anos, cursa marketing pelo ProUni na Unicarioca. Se sente fruto dos projetos socias da sua região.

 

Camila Amorim tem 21 ano e é moradora do Complexo da Pedreira. É educadora e produtora cultural.

 

Claudia Capela tem 24 anos e mora na Pedreira. Trabalhava como motorista de Uber, mas se viu obrigada a parar por causa da pandemia, e por isso, está desempregada. Participa do projeto Impulso Digital, aprendendo sobre cultura digital com mentores da escola de programação 42 Rio. As formações, que além dos aprendizados proporcionaram novas amizades, são também a possibilidade de um novo caminho para Claudia. Ela não fez faculdade e pretende aprender mais sobre programação para investir nessa profissão.

 

 Cleiton dos Anjos é educador popular, artista e pesquisador, formado em pular corda, amarelinha e pique bandeirinha.  Estuda ciências sociais na UFF e é cria de diversas favelas e periferia do Rio de Janeiro, atualmente morando em Campo Grande.

 

Gabriel Viana Sarmento tem 20 anos e é cria de Guadalupe. Movido pelo desejo que sempre teve por atuar no bairro, criou o Guadalupe Rap Festival, que ao mesmo tempo tem a ver com seu estilo e permite ajudar pessoas da região.

 

George Luiz tem 25 anos e é morador de Bangu. É empreendedor desde 2017, quando criou a hamburgueria artesanal Hamburgueria 7 Maravilhas. Está no quarto período de administração e é técnico em web design.

 

Heloisa Helena é paraense de raíz Tupinambá. Moradora de Sepetiba, é bocarpista, musicista, bailarina de dança do ventre egípcia, escritora de rimas poéticas e estudante de direito.

 

Isabela Silva é estudante de pedagogia, tem 27 anos e desde os 16 trabalha com projetos sociais. É gestora do Coletivo Borearte desde 2017, musicista e formada em assistente administrativo pelo SENAI.

 

Karen Barbosa tem 18 anos. É mineira criada por 17 anos na Zona Oeste do Rio. Moradora de Santa Cruz, é vestibulanda de Nutrição-UERJ.

 

Karla Anjos é uma jovem empreendedora que sonha em transformar sua comunidade e as pessoas que moram nela. Tem 20 anos e é mãe de um menino de quatro.

 

Kawan Lopes foi ocupante de escola, é universitário cotista de Belas Artes na UFRRJ e fundador do coletivo @culturazorj. Nascido na comunidade do Cesarão, em Santa Cruz, foi o mais jovem no Conselho Estadual de Cultura do Rio 2019/2020.

 

Lais Lage tem 22 anos, é mulher preta, bissexual e atriz. Moradora de Santa Cruz, cursa licenciatura em teatro na UNIRIO e é integrante das cias teatrais Prática de Montação, que investigam cenicamente gênero, sexualidade e memória e Coletivo Arame Farpado, que investiga realidade, ficção, memória e território, sendo este vencedor do 8º prêmio Questão de Crítica. É bolsista CNPq no Programa de Iniciação Científica desde 2019, e tem como projeto de pesquisa o tema “Teatro e periferia: narrativas dissidentes como potencial artístico-político-pedagógico”.

 

Luiz Felipe tem 25 anos e é pai orgulhoso de duas meninas. Mora em Inhoaíba (Vilar Carioca), tem uma microempresa online (ANNA32) e faz freela de instrutor de informática, sua principal renda hoje.

 

Matheus de Araujo tem 23 anos e é nascido e criado na favela Rubens Vaz, na Maré. É escritor, roteirista, poeta e assistente de comunicação e marketing. Tem um livro autoral publicado em 2018 chamado Maré cheia, é fundador do Slam Maré Cheia e também produz artes de design gráfico e artístico.

 

Nilton Santos tem 26 anos e mora na Zona Oeste do Rio, em Santa Cruz, Ruralino, há 3 anos. Estudo comunicação/jornalismo na UFRRJ. Acredita que a educação e a cultura, juntas, são ferramentas de transformação da sociedade e busca potencializar esses aspectos no seu território.

 

Rafael Moreira, conhecido como Viajante Lírico, é poeta, escritor, rapper, ator em formação pelo Teatro do Oprimido, estudante de fotografia e ativista sociocultural. É também idealizador do coletivo Mente Ativa, produtor da Marginow e vocalista da banda DSD.

 

Raissa Rodrigues tem 18 anos e é cria da comunidade Para-Pedro, Zona Norte do Rio. É produtora cultural e empreendedora há 3 anos, escreve poesia, canta, dança e pratica esporte nas horas vagas. Faz bicos extras como babysitter e como faxineira. Estuda marketing digital e daqui a três anos quer estar cursando direito e coordenando um projeto social.

 

Raulf Jatobá é poeta marginal, rapper, ator, comediante, roteirista, artista de rua e vendedor ambulante. Morador de Rocha Miranda, é integrante dos coletivos artísticos Atako RJ e Mente Ativa, e também idealizador do projeto social Sementes de Afeto.

 

Ruan Domingos Costa tem 24 anos, mora em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro, e estuda Relações Internacionais na UFRJ. Participa do coletivo Levante Aço, que ajuda jovens moradores da favela do Aço, em Santa Cruz, promovendo sua formação cidadã em todos os âmbitos profissionais, educacionais, entre outros.

 

Thiago Nascimento tem 23 anos e mora no Jacaré. Graduando em direito na UERJ, é fundador do Jaca contra o Corona, Jacaré Basquete e LabJaca e empreendedor pela Reciclar Design.

 

Veridiane Vidal é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, morando hoje na Providência. É mulher preta arte-educadora e trançadeira. Desenvolve trabalhos voltados às populações que tiveram sua liberdade privada pelo sistema prisional brasileiro.

 

Ynara Noronha é cria da Zona Oeste do Rio, morando em Santa Cruz. Cursa produção audiovisual e faz freelas de fotografia e estofamento. Adora dar rolé pelo Brasil contando e conhecendo histórias por meio do artivismo com artes visuais, pintura, lambe, poesias e filmes. Tem projetos sendo planejados em relação à cultura negra para negros.

__

Este projeto é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS, (Edital do Produtor Cultural – Nº 01/2019).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *