Circulando o ABCdário

Direito à cidade
24 de outubro de 2012
21 projetos desenvolvidos na Agência classificados em edital do MinC
25 de outubro de 2012

Durante o estúdio de criação de sábado no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, o direito à cidade foi abordado usando um vídeo de produzido no primeiro ciclo da Agência com a bolsista Beatriz Carvalho, a Zazá, moradora da Providência.

Foto: Por onde andará a Zazá? Quem souber, me conte. Preciso saber dessa marota!

No vídeo, a menina passeia pela primeira vez no largo da Carioca, no Centro do Rio, comentando o que achou de sua participação na Agência de Redes para a Juventude e pensando ideias de projetos.  Depois da apresentação do vídeo muitos se identificaram com a história. Morar perto de um local e não conhecê-lo não era um fato isolado no grupo.Um bom número de jovens deste núcleo não circula pelo Centro da cidade, a não ser para participar dos Estúdios da Agência. O mediador Jonas Sales perguntou sobre a utilização de equipamentos culturais da região. Alguns dos que circulavam mais pelo Centro, disseram que achavam a arquitetura destes prédios fria e fechada, além de passarem a impressão de serem espaços caros.

“Um monte de segurança de terno e portas fechadas a gente fica com receio de ser barrado, o Rio é uma cidade pensada para o turismo não para quem mora aqui, os preços para qualquer atração turística são absurdos assim como a passagem de ônibus, ainda me lembro de quando custava R$ 0,60″, disse o agenciado Rafael Calazans.

todos reunidos para o almoço e a descontração rolou solta com direito a passos de funk no palco externo do Calouste. O show ficou por conta dos agenciados Rodolfo, Douglas e Julio Basílio que a princípio mostravam-se tímidos.

Compondo ABCdários

De A a Z, os bolsistas foram desenhando suas ideias em forma de ABCdários. Alguns exemplos de artista que também utilizaram abecedários foram apresentados para que os jovens pudessem começar o processo de criativo. Estimulados por videos como o da Gaiola das Cabeçudas e o  ABCdário da alegria , os jovens da Agência conheceram mais um dispositivo para colocar ideias no papel.

 

 

 

 

 

 

Com algumas palavras-chave de objetos importantes  para cada um, os bolsistas desenvolveram textos como o de Priscila Silva Nascimento, que utilizou as palavras geladeira, televisão e DVD para desenvolver seu texto. Veja!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *