Cinema que pensa a cidade

Resultado da 1ª fase de seleção
30 de agosto de 2012
EQUIPE 2012: Resultado final
3 de setembro de 2012

Um ambiente de encontro para ver e discutir a cidade a partir das comunidades cariocas e suas histórias. Esta é a proposta da mostra Territórios de Cidadania, que acontece de 4 a 9 de setembro na Caixa Cultural, no centro do Rio de Janeiro.

Organizada pela Cavídeo, a programação inclui a exibição de 9 filmes de longa-metragem e 4 curtas realizados em comunidades populares ou que dialogam com estes territórios e se destacam em mostras no Brasil e no exterior. Após as sessões, acontecem debates com diretores, atores, jornalistas e artistas que pensam a favela em suas produções.

Para abrir a mostra, haverá a pré-estreia nacional do filme 5 x Pacificação, de Luciano Vidigal, Cadu Barcellos, Rodrigo Felha e Wagner Novais, que participa em seguida do debate com o rapper e escritor MV Bill e o Cel. Robson Rodrigues da Silva, que atuou como comandante das UPPs, com mediação de Marcus Vinícius Faustini, criador e coordenador da Agência de Redes para Juventude.

A mostra tem como objetivo mobilizar os moradores das comunidades cariocas para participarem da programação. Jovens produtores locais recrutados na Agência de Redes para Juventude e no AfroReggae dão suporte à empreeitada nas comunidades do Vidigal, Borel, Chapéu Mangueira, Babilônia, Pavão e Pavãozinho, Santa Marta, Cidade de Deus, Maré, Vigário Geral, Cantagalo, Batan e Providência. A produção disponibilizou ônibus que partem destas comunidades em direção à Caixa Cultural. Quem vem no bonde não paga entrada.

A programação abrange diferentes linguagens e formatos. Entre os filmes exibidos estão Cinderelas, lobos e um príncipe encantado (2008), documentário de Joel Zito Araújo que aborda o tráfico de mulheres brasileiras para a Europa; As batidas do samba (2011), sobre a evolução do samba carioca, de Bebeto Abrantes;  a animação O céu no andar de baixo (2010), de Leonardo Catapreta; e Coruja (2011) que conta a relação de Bezerra da Silva com os compositores das músicas que se tornaram clássicos da malandragem em suas interpretações. O público poderá assistir também 5 x Favela – Agora por nós mesmos (2010), Sou feia, mas tô na moda (2005) sobre o universo feminino do Funk e L.A.P.A (2008) sobre o boêmio bairro carioca e o rap.

Ao lado de Paulo Silva, Julio Pecly dirigiu o longa Enchente (2011), um recorte do grande alagamento que ocorreu em 1996 na Baixada de Jacarepaguá que contabilizou 100 mortes na Cidade de Deus, bairro onde moram. “Nós queriamos resgatar essa história que estava esquecida na Cidade de Deus. Nós sofremos com essa enchente, foi uma das mais marcantes da comunidade. O Zezinho, morador do Karatê, tinha comprado uma câmera um mês antes da enchente. A primeira filmagem que ele fez foi essa. A maior parte das imagens é dele, mas também conseguimos três horas de imagens com a TV Globo e finalizamos o filme na Cavídeo”, conta Julio que participa do debate após a exibição de seu filme no dia 7.  “A mostra é uma oportunidade de mostrar o Rio de janeiro que não é cartão postal”, ressalta.

Confira a programação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *