CIDADE DE DANÇA

EU SOU O PRÓXIMO: OUÇA AGORA!
7 de junho de 2016
AGÊNCIA, FUNDAMENTAL
27 de julho de 2016
Exibir Tudo

CIDADE DE DANÇA

Conversa com Adany Lima, criador do projeto que segue na criação de redes de dança para jovens da Cidade de Deus.

Jovens deitados no chão de uma pequena sala numa noite de quinta-feira na Cidade de Deus, Rio de Janeiro. Eles não estão parados, tampouco estão em movimentos aleatórios: eles traduzem, com o corpo, a sensação que a música Hello, de Lionel Richie, provoca neles. A canção os pegou de surpresa depois da energia que só as músicas da Beyoncé podem provocar na juventude de origem popular.

E é assim que começa mais uma aula das oficinas de dança do Movimentos, projeto que envolve mais de 70 jovens da comunidade em suas atividades. Em quatro anos de existência – apoiados pela Agência de Redes para Juventude – já foram muitos desafios superados para continuar ampliando a arte da dança na CDD. Adany Lima, 31 anos, um de seus fundadores, conta um pouco sobre a metodologia e as novas ações para ampliá-la na cidade.

Vídeo: Aulas do Movimentos no CRJ. A parceria era apenas para a colônia de férias, mas já dura nove meses. Fonte: Divulgação Movimentos.

NOVOS PARCEIROS

Em novembro de 2015, o Movimentos foi convidado a participar da programação de férias do Centro de Referência da Juventude – Cidade de Deus (CRJ). O convite foi aceito de forma estratégica: a possibilidade de falar com um público diferente de jovens da comunidade e a partir disso, experimentar novas modalidades de dança. A correria de final de ano foi recompensada: hoje o projeto incorporou o Passinho na grade e realiza encontros toda segunda e quarta-feira na instituição.

Galera da Movimentos marcando presença na edição 2016 do Festival Rio H2K. Foto: Divulgação Movimentos.

No início de julho deste ano, o Movimentos firmou a parceria com o braço social de um dos maiores eventos de danças urbanas do Rio de Janeiro: o Festival Rio H2K. Os primeiros contatos começaram em 2014, durante o Agência Ocupa MAM – encontro em que os projetos apoiados pela Agência expuseram suas realizações para a cidade. Não só o Movimentos, mas também Descolados e Favela em Dança trabalharam juntos com Miguel Colker, diretor geral do Festival, numa coreografia para o evento.

O Projeto Rio H2K realiza permanentemente aulas de dança em Madureira e no Caju. O Movimentos entra como representante do Festival naquela região da Zona Oeste. Se por um lado, o apoio não é financeiro, a parceria cumpre uma meta importante para o projeto: aumento de redes e repertórios para os jovens participantes. “A intenção do projeto não é fazer com que o jovem fique estagnado na Movimentos. O projeto é uma janela dentro da Cidade de Deus pro jovem conhecer as danças urbanas e se ele quiser continuar, levar isso pra vida ele vai ser recomendado pela Movimentos e vai conhecer as redes de dança da cidade”, conta Adany.

Para este ano, o projeto ainda planeja uma mostra de danças urbanas, além de mais uma edição do Festival Unificarte, feito junto com a Associação Sementes da Vida – Cidade de Deus (ASVI) – parceiro de longa data do projeto. E já neste próximo final de semana vai rolar apresentação dentro do Jacarepaguá de Todas as Artes Urbanas, evento promovido pela Lona de Jacarepaguá, gerida por jovens que também passaram pela Agência.

RECONHECIMENTO E MOTIVAÇÃO

Dar aulas de dança sempre foi uma escolha para o Movimentos. Entre ser uma companhia ou espaço aberto de aprendizado, as oficinas sempre geraram maior encanto pela possibilidade de impacto na comunidade. Em 2012, os aulões foram um termômetro para entender o quanto a dança mobiliza na Cidade de Deus. Em 2013, a experiência das oficinas em duas escolas municipais através do Bairro Educador contribuiu para aumentar a credibilidade do Movimentos e para afinar a sua metodologia e abranger diversos interesses em dança.

“Muitos jovens entram na movimentos por fatos externos, influenciados pelos vídeos do YouTube, dos artistas americanos. Eles que dança é muito mais além do que copiar coreografias e isso gera uma vontade neles de querer a prender mais”. E o objetivo de todo esse esforço é continuar gerando novos encontros, na comunidade e na cidade.

VEJA MAIS:

Conheça a história de Adany Lima no Episódio 35 do programa Eu Sou o Próximo!

Ensaio do Movimentos para o Carnaval

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *