Chuva de ideias no Batan

Um Olhar Diferente Sobre o Território
4 de junho de 2014
Negociando Ideias na Rocinha
11 de junho de 2014
Exibir Tudo

Chuva de ideias no Batan

O estúdio de criação da Agência de Redes para a Juventude no núcleo Batan virou palco para todos os bolsistas declararem suas ideias e firmarem parcerias através da Feia de Ideias marcando uma nova fase de ciclo da metodologia.

“A feira é uma coisa que te cativa pela palavra. Na Agência tem várias pessoas e cada uma no seu canto, mas querendo vender seu produto” foi a fala de Bruna de Moraes (15) durante a conversa sobre qual a representatividade da feira. Em seguida aconteceu a feira de trocas. Livros, roupas, acessórios e objetos de valor sentimental expostos em um tabuleiro, com os seus donos usando da sagacidade para conseguir trocar por outro item da feira que havia despertado o eu interesse.

O esquema da feira era rotativo. A cada rodada uma parte dos jovens bolsistas se posicionavam para explicar sobre o que desejavam colocar em prática no seu território e os demais bolsistas circulavam pela sala, de barraca em barraca para ouvir as propostas. “A feira mostrou a capacidade que a gente tem de colocar em prática nossos desejos”, disse o bolsista Lorran de Oliveira (19).

No sentido horário: Foto 1 - BTN; Foto 2 - Cine Batan; Foto 3 - Batan sem fronteiras; Foto 4 - Hostilizados.

“Tem tem gente que esta aqui para mudar a comunidade e outras estão pela bolsa. Mas é algo que une as pessoas”, Mariana Vieira (18) sobre um dos objetivos do dia: a criação de grupos para a construção dos projetos. Mariana junto a Carlos Gabriel (17), Wanderson Pereira (21) e Rayane Garcia (21) desejam criar no Batan a “BTN”, uma produtora audiovisual. Ainda no campo audiovisual Andreza Lima (27 anos), Thainá de Moraes (17), Mônica Portella (21), Bruna de Moraes (15), Letícia Alves (17 anos) e Crislaine dos Santos (20) se formam para abrir uma sala de cinema a preço popular. “O Cine Batan é um cinema para a família, para todos os públicos e uma vez por mês a entrada do cinema seria 1 kg de alimento não perecível”, segundo a bolsista Andreza.

Alex Lobato (16) e Hannani de Cássio (16) desejam realizar o “Batan Sem Fronteiras”, evento aberto ao público que use as expressões artísticas do Hip Hop, dança, rima e improviso no Batan e Fumacê. “Queremos também encontros semanais, conversar com a comunidade sobre o trabalho do projeto, atividades culturais” afirma Alex. Também visando aumentar as atividades culturais no território Israel Soares (21), Daniel Cruz (18) e Pedro Paulo Meireles (22) estão pensando no projeto “Hostilizados”, que vai oferecer oficinas de teatro.“O projeto atende jovens de 12 a 25 anos. E o diferencial é investir na teoria do teatro, no aprendizado. Vamos priorizar investir também no figurino, cenografia, além de aulas de canto pra revelares atores completos no Batan” diz Daniel sobre a ideia do grupo “O produto que queremos gerar no jovem é mudança de pensamento. É isso que queremos gerar e trazer benefícios como consequências para a comunidade, como outros projetos e parcerias para o Batan”, conclui Israel Soares.

UFB - Union Fighter’s Batan.

Outro grupo formado defende o projeto “Union Fighter’s Batan” de Eric Johnson da Silva (16), Yara Raquel (15), Matheus de Oliveira (16), Allan Copelli (18). Guilherme Oliveira (16) e Lucas Eduardo Viana (18). “Não estávamos tão unidos pra fazer o projeto, mas na feira percebemos que tínhamos a ideia parecida. Esse vai ser o projeto de esporte que vai dar certo”, disse Guilherme que se preocupa em não só criar, mas também manter o projeto em realização no Batan. Yara também acredita na sua ideia. “A minha tia fala que luta não é para mulher, mas pra mim não importa se é homem ou mulher, mas o importante é fazer o que gosta”, declarou.

 

No sentido horáio: Foto 1- Lan House do Brown; Foto 2 - Projeto com grafite; Foto 3 - Rolé na favela; Foto 4 - Associação dos idosos do Batan; Foto 5 - Creche Kids; Foto 6: GalerArte - grafite e desenho.

Os Jovens Leonardo dos Santos (17), Yuri Nepomuceno (17) e Felipe Lopes (15) pensam em lançar a “Lan House do Brown”. Genilson Araújo (16) e Rafaela Batista (15) se unem para pensar em criar a “Associação dos idosos do Batan”, enquanto Raphaela Ferreira (16), Laís Ferreira (20) e Lorraine Oliveira (18) querem criar a “Creche Kids”. Lorran de Oliveira (19) planeja desenvolver o “Rolé na Favela”, projeto turístico. E Fernando Machado (25), Alessandro Fontes (18), Kaio Santos (16), Larissa Souza (16), Ariel Freitas (15) e Douglas Santos (18) desejam implantar nas ruas e nas praças a arte do grafite e desenho com GalerArte.

Com grupos formados, um novo ciclo se inicia e com direito a chuva de papel colorido para celebrar. O Batan agora cumpriu mais uma etapa da metodologia da Agência e o trabalho se volta em desenvolver esses projetos para que possam ser realizados. No próximo sábado é dia de Encontrão na Arena, onde todos os núcleos da Agência da cidade se reúnem para mais um dia de inspiração e produção.

Os comentários estão encerrados.