Afeto na Providência

Reciclart lança a marca #Mona
13 de Março de 2013
Gincana em busca de ativistas mirins para o Boca de Lixeira
15 de Março de 2013

Nesta terça-feira (12), o Providenciando a Favor da Vida, projeto desenvolvido na Agência de Redes para Juventude, reiniciou suas atividades. O dia foi repleto de histórias sobre gravidez no encontro com as participantes dos cursos de Planejamento Familiar, para gestantes, e o de Acompanhamento, para mulheres que já são mães.

Quando perguntadas por Raquel Spinelli, coordenadora do Providenciando, sobre  como se sentiam como futuras mães, as respostas foram variadas. Algumas responderam “ansiosas, felizes e gordas”, outras apontaram medo em relação ao parto. A situação que mais gerou identificação entre todas foi é o stress, adquirido ou potencializado durante a gravidez. A própria Raquel falou sobre sua experiência de ser mãe do Daniel, de 8 meses, que deu a ela um maior entendimento sobre o projeto.

Turma assiste ao curta da Agência sobre o Providenciando a Favor da Vida.

Larissa Kelly (17 anos), grávida de 7 meses de Manuela, sabia da possibilidade de engravidar pela irregularidade com que tomava pípulas contraceptivas. Mas foi uma grande surpresa quando descobriu que estava grávida. “Antes, eu tinha um certo preconceito com as meninas que engravidavam cedo, mas procurava não criticar. Não imaginava ser mãe tão cedo, mas toda mulher tem o instinto de ser mãe”, disse Larissa, que mesmo com medo do parto, está feliz com a filha e o apoio do namorado e das famílias.

Nice Gomes de Oliveira (30 anos), deseja ter três filhos. Ela é mãe de Matheus (4 anos), e está grávida do seu segundo filho. “Eu não tenho família, então, preciso eu mesma montar minha”, contou Nice, que relata a distância de familiares em Minas Gerais e que já não conta com a presença dos pais. Ela está aproveitando o tempo de gestação para pensar em um negócio próprio no campo de festas e já fechou serviços com dois clientes em março.

Raquel Spinelli ficou muito animada com a reunião. “Eu errei muito. Antes, quando algum palestrante não podia vir, eu não sabia o que fazer. Hoje, eu sei me virar”, disse Raquel, que percebeu neste encontro o quanto o projeto cresceu, ao mostrar a história do Providenciando em vídeos e ao sentir a participação ativa das mães e gestantes.

Ingrid e seu carinho pela filha Luiza. Na foto, está dona Isaura, professora de costura do projeto.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *