A primeira inauguração!

Roda de Ideias
14 de novembro de 2011
Um sábado na desencubadora
24 de novembro de 2011

Maneh Produções, de Eduardo Henrique, no Chapéu-Mangueira

O dia começou com desafios inesperados: a falta de luz em toda a favela e mais o Leme, e a perda de R$150 reais, que eram para pagar o gelo. Eduardo pegou emprestado a grana para pagar o gelo, e a ativadora Monique Volter tuitou um alarme para a Light.

“Se a luz não voltar, o pessoal do pagode, canta, ‘eh, eh, eh’, assim”, imaginava o Eduardo, batendo palma, sorridente, no terraço da casa dele, minutos antes dos primeiros clientes chegarem.

Monique havia preparado um roteiro do dia, que começara às oito horas. A Maneh tomou um cuidado impressionante com detalhes. “Não dormi nada, ficava acordando e anotando coisas que precisava fazer,” lembrou Eduardo.

Linda decoração das mesas

A equipe de filmagem acompanhou o Eduardo levando uma panelona de feijoada até a quadra. Quem a preparou foi a mãe dele, que superara a desconfiança sobre o quê o Eduardo fazia exatamente, nessa tal de Agência. “Eu cortei a couve,” ele lembrava.

Ao próprio Eduardo faltou confiança em muitos momentos do desenvolvimento da ideia dele, que era de organizar eventos para a comunidade, agora que o tráfico não faz mais isso. “Eu tinha muitas ideias, mas nunca conseguia organizar elas,” ele diz. “Mexia com muitas, começava uma e depois outra.”

Pai, filho empreendedor novato, e neto

O que Eduardo mais aprendeu na Agência? “Formar minha opinião, falar minha opinião, e defender minha opinião,” disse ele. “Não ter medo de defender minhas ideias.”

A luz voltou!

Que o Dia de Consciência Negra da Maneh Produções seja o primeiro de muitos eventos na comunidade!

A quadra encheu

O sabor de uma produção bem feita

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *