A cidade dentro da casa: Vaivem

Vai Jovem, Vem cidade!
16 de Maio de 2014
Cordão no pescoço, uma ideia no território
21 de Maio de 2014
Exibir Tudo

A cidade dentro da casa: Vaivem

Aconteceu durante o dia inteiro do ultimo sábado a ocupação cultural Vaivem na Casa Viva de Bonsucesso, onde moram jovens em rota de fuga da dependência química.  A produção do evento foi realizada pelos próprios jovens com o através da metodologia da Agência de Redes para Juventude.

O entusiasmo dos meninos ao longo da semana foi nítido para todos aqueles que tiveram a oportunidade de passar pela casa. “A recepção da molecada foi muito maneira, os meninos já chegaram trocando ideia e nos ajudando a arrumar os instrumentos”, comentou Nil Lima, um dos integrantes do Grupo No Lance que fez a roda de pagode que animou a galera. “Quando tem visita na nossa casa a gente sempre tem que receber bem para elas poderem voltar”, completou Carlos, um dos jovens da Casa.

A presença da família dos jovens foi o que trouxe mais afeto e empolgação por parte dos jovens. “Ele é muito prestativo, [fazer o evento] fez muito bem a ele. Fez ele se movimentar”, disse dona Maria Eunice, avó do Carlos, que fez questão de apresentar a sua família para todos os presentes.

Além do pagode, o dia contou também com churrasco seguido da horta (com Daniel Anavert), oficina de grafiti (com Toquinho), roda de capoeira (com Conexão com Conexão Carioca).

Exposição fotográfica realizada pelos meninos produtores do Vaivem. Foto: Allan Reis

Uma das atrações que mais chamou a atenção de todos que passaram por lá foi a exposição “Casa, Viva Bonsucesso”, que mostrou a percepção fotográfica e audiovisual dos jovens sobre Bonsucesso. Fotos dos moradores da rua com suas histórias foram expostas, além de curtas feitos pelos meninos sobre a sua percepção sobre o bairro. “A gente percebe que na produção do material para a exposição eles tiveram autonomia, dá pra perceber que é mesmo a visão deles”, falou Filipe Chagas morador de São Gonçalo.

As ações realizadas durante a produção da exposição foram também muito importantes para criar vínculo entre os jovens e o bairro, mostrando a Casa e os jovens além dos rótulos que recebem. O resultado da mobilização foi a presença de vários vizinhos da Casa, como a do Seu Marquinho que é comerciante do bairro e se aproximou dos jovens fazendo amizade assim que descobriu a proposta da Casa.

A Batalha do Passinho agitou o Vaivem. Foto: Allan Reis

O Vaivem recebeu também o Festival Home Theatre com a cena “O Rico Avarento” de Ariano Suassuna encenado por estudantes de teatro da Arena Jovelina Pérola Negra. A programação apresentou também poesia com o Sarau V e Jardim Poético, cinema com a galera do Norte Comum e Mate com Angu.

A tão aguardada  Batalha do Passinho fechou a noite.  Mais de trinta meninos e meninas participaram desse momento. Para o vencedor da batalha, Anderson da Penha, o prêmio serviu de estímulo para continuar a dançar. “Eu nunca tinha ganhado uma batalha do passinho. Ia desistir de dançar, mas agora o ano começou de novo pra mim”, falou Anderson comemorando a vitória.

Depois de um longo dia de trabalho e diversão, a sensação que ficou é de dever cumprido. Não só pelo evento em si mas pelos novas possibilidades que esses meninos apresentaram para cidade. “Isso tudo está possibilitando que o pessoal daqui enxergue a gente diferente, vejam que a gente também pode fazer muita coisa boa”, completou Pablo, ex-morador da Casa, mas que está sempre presente devido aos laços que construiu com todos de lá.

Confira todas as fotos aqui: http://on.fb.me/R4pVG5

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *